O MELHOR JORNAL DA REGIÃO!

ASSINE (38) 3821-3247 E 9113-0163

O MELHOR JORNAL DA REGIÃO! O MELHOR JORNAL DA REGIÃO!

O MELHOR PARA SEU FILHO (A)

(38) 3821-1089 - Janaúba

O MELHOR PARA SEU FILHO (A) O MELHOR PARA SEU FILHO (A)
Casos de dengue aumentam e prefeitura intensifica combate ao Aedes Aegipty
19 de maio de 2015
JANAÚBA (por Oliveira Júnior) – A prefeitura de Janaúba, através da sua Secretaria Municipal de Saúde, com o objetivo de intensificar o combate ao mosquito Aedes Aegypti, vetor transmissor da dengue e da febre Chikungunya, iniciou, na semana passada, a aplicação do inseticida por meio do carro fumacê, nos bairros com maiores incidências da doença infecciosa registrada na cidade. Depois o trabalho foi extendido para toda a cidade. De acordo com o supervisor técnico do setor de Endemias da Secretaria de Saúde, William Barroso, a orientação é que os moradores abram todas as portas e janelas, para que o inseticida possa circular dentro das casas e eliminar o maior número possível de larvas dos mosquitos.
 
O secretário de Saúde, Gilson Urbano destaca que é importante dar continuidade ao trabalho de eliminação do mosquito. “O cuidado para com o vírus da dengue deve ser contínuo”, diz o secretário.
O prefeito de Janaúba, Yuji Yamada ressalta a importância do carro fumacê para o combate à dengue, e mais recentemente, a chikungunya. “É uma estratégia essencial que visa diminuir cada vez mais o número de casos, e precisa da colaboração de todos para que dê resultados práticos”, explica.
 
Para se ter uma ideia, apenas nos quatro primeiros meses deste ano os casos de dengue em Janaúba foram cinco vezes maiores em relação aos 12 meses do ano passado. De janeiro a abril de 2015 foram notificados 254 casos de dengue em Janaúba, na região da Serra Geral de Minas, bem acima dos 58 casos notificados de 2014. Em 2013 ocorreram 2.068 notificações de dengue em Janaúba, onde os casos de dengue notificados pularam de 106 em 2011 para 319 casos em 2012.
 
Com relação aos casos de dengue confirmados, o número neste ano é dez vezes maior, numa comparação ao ano de 2014. Entre janeiro e abril de 2015 foi constatada a confirmação de 54 casos de dengue em Janaúba contra apenas 5 casos confirmados no ano passado. Já em 2013 o índice foi alarmante chegando a 557 casos confirmados, enquanto que em 2012 foram 79 e em 2011 ocorreram a confirmação de 8 casos de dengue neste município.
 
BAIRROS -- Os bairros Boa Vista e São Lucas, na região noroeste de Janaúba, são onde há mais casos de dengue neste ano. A situação também se agrava em bairros nessa região, por exemplo, Dente Grande, Cerâmica e Veredas. Por outro lado, os bairros Saudade, Barbosa, São Gonçalo, Algodões registraram menos casos de dengue entre janeiro e abril deste ano.
 
De acordo com levantamentos da Secretaria Municipal de Saúde, o campeão de casos de dengue neste ano é o bairro Boa Vista onde tem sido constatado 78 casos de dengue. Em seguida aparece o bairro São Lucas com 30 casos; Dente Grande com 27 casos e Cerâmica com 18 casos de dengue.
Nos quatro primeiros meses deste ano foram registrados 12 casos de dengue no bairro Santo Antônio; 9 no bairro Nova Esperança e 8 no Veredas. Nos bairros Izaías Pereira, Esplanada e Santa Cruz ocorreram 7 casos de dengue. No centro e no bairro Planalto foram 6 casos.
 
Conforme o relatório da Secretaria de Saúde deste município, há, até abril deste ano, 5 casos de dengue no bairro Gameleira; 4 no residencial Clarita (bairro Boa Vista), na comunidade de Caraíbas e no distrito de Vila Nova dos Poções. No bairro Ribeirão do Ouro e no Conjunto Habitacional (Cohab) José Manoel da Silva, conhecido como Casas Populares, foram registrados três casos da doença.
Nos bairros Santa Terezinha, Rio Novo, Padre Eustáquio e Novo Paraíso foram notificados 2 casos de dengue, mesma quantidade apontada para o residencial Dona Lindu (bairro Algodões). Nos bairros Algodões, Saudade, Barbosa, São Gonçalo, no residencial Jardim Imperial e na comunidade de Lagoa Grande há o registro de uma notificação de dengue.
 
90% DOS FOCOS DENTRO DAS CASAS -- A Vigilância ambiental e controle de endemias realiza ações com o intuito de reduzir o índice de infestação do Aedes aegypti, transmissor da dengue e da febre chikungunya, segundo os levantamentos (LIRAa – mês de março 2015) foram identificados que 90% dos focos predominantes estavam dentro das residências, com 1,9 % de índice de infestação do Aedes aegypti, isso enquadra o município no risco médio de infestação. Neste ano já foram 254 casos notificados com 54 notificações confirmadas, o que vem a classificar Janaúba como uma cidade com alto risco de transmissão da dengue.
 
AÇÕES DE COMBATE -- Além das visitas domiciliares que os agentes de controle de endemias realizam normalmente (6 vezes ao ano); quando há um caso notificado com dengue, são realizados 2 bloqueios, com ações em 2 frentes de trabalho.
 
Bloqueio Mecânico: Consiste em um tratamento e uma pesquisa vetorial (TPVE), para eliminar os focos existentes e evitar possíveis novos focos, esse trabalho é realizado no quarteirão que estiver uma pessoa notificada com dengue e nos quarteirões das suas laterais, para evitar que os mosquitos que estejam em sua fase lavraria nasçam e venham a transmitir a doença (foram realizados 54 Bloqueio Mecânico - TPVE).
 
Bloqueio Químico: (UBV COSTAL) é realizado com o intuito de eliminar os mosquitos adultos que estiverem sobrevoando as proximidades da residência onde a pessoa doente reside, impedindo a transmissão da doença, utiliza – se inseticida. É realizado com a finalidade de se fazer um bloqueio do vetor, para o mesmo não migrar para outros quarteirões, evitando assim que a doença se espalhe. (Foram realizados 32 bloqueios Químicos).
 
As visitas domiciliares estão sendo realizadas normalmente pelos agentes em toda a cidade, com 1050 visitas diárias em residências, terrenos baldios, comércios, igrejas e outros estabelecimentos eliminando e evitando possíveis focos do Aedes aegypti. (Fonte: Secretaria Municipal de Saúde)
 
Câmara de Verdelândia cobra ações da Copasa
03 de maio de 2015
VERDELÂNDIA (Fernando Lucas) -- O presidente da Câmara Municipal de Verdelândia, Harley Matos, na companhia dos vereadores José Emídio, presidente da Comissão de Serviços Públicos e Jurandir Ferreira, da Comissão de Orçamento e Tomada de Conta, esteve visitando o superintendente da Copasa em Montes Claros, Daniel Antunes, cobrando do mesmo o término da rede de esgoto do município. Segundo Harley Matos, parte da população está fazendo as ligações à referida rede por conta própria, sem orientação técnica, o que lhe preocupa. Ele disse que ouviu do superintendente da Copasa o compromisso de avaliar a situação e buscar solução para o problema o mais rápido possível.
 
Em plena crise hídrica e seca avassaladora, água jorra para fora dos canais do perímetro Gorutuba
26 de abril de 2015

NOVA PORTEIRINHA (Fernando Lucas) -- Apesar de estar em andamento as obras de reforma estrutural do perímetro de irrigação Gorutuba, que vão permitir a transformação do sistema de condução de água de canais abertos para o sistema de tubulação, o desperdício de água continua (FOTO AO LADO).
Esta semana fotos postadas no Facebbok pelo radialista José Ambrósio Prates, mostram o quanto é necessária mais agilidade à obra, uma vez que, neste crítico período de estiagem e crise hídrica, a água vem sendo jorrada pelos canos do referido perímetro.

Segundo informações da Codevasf, as obras de canalização, que tiveram início no final do ano passado, terão investidos cerca de R$ 95 milhões para implantação de 121.060 metros de tubulação. recursos estes que já estão garantidos pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no âmbito das ações do programa Mais Irrigação, coordenado pelo Ministério da Integração Nacional (MI).

Nesta primeira fase, estão sendo implantados 56.426 metros de tubulação, com investimentos de aproximadamente R$ 57 milhões.

De acordo com técnicos da Codevasf, o projeto prevê a substituição de parte do canal principal e toda a rede de canais secundários, terciários, quaternários e quinternários por tubulação pressurizada gravitacional, aproveitando a carga hidráulica disponível no perímetro. Além das substituições, também serão implantados um sistema automatizado de controle e um sistema de medição parcelar de consumo de água e de monitoramento de água nas estruturas do canal e da adutora. Ao todo serão instalados mais de 121.060 metros de adutora, variando de 200 a 1.300 milímetros.

O problema é que, enquanto as obras não finalizam, o desperdício vem sendo registrado e é grande.

 
<< Início < Anterior | 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 | Seguinte > Final >>