Matemática: Finalmente o Brasil vai para o topo PDF Imprimir E-mail
Escrito por Aroldo Cangussu   
24 de agosto de 2014

O Brasil sempre fica em péssimas colocações em testes internacionais relacionados à educação. Em ciências, nossa inferioridade é gritante. Os brasileiros testados, em sua maioria, não conseguem interpretar um gráfico, resolver exercícios simples ou mesmo apresentar raciocínios lógicos.

Outra coisa que nos envergonha: o país nunca conseguiu ganhar um prêmio Nobel que é o reconhecimento mundial da excelência em alguma atividade. Alguns países latino-americanos já alcançaram essa proeza. Costa Rica, Colômbia, Argentina e México já foram laureados, mas o Brasil jamais.

Agora podemos ao menos nos regozijar, pois um brasileiro acaba de ganhar um prêmio de reputação internacional enorme e em uma área que somos deficientes, a matemática. O carioca Artur Ávila conseguiu levar a Medalha Fields que é considerada o “Nobel” da matemática já que o Prêmio Nobel oficial não contempla essa disciplina, ao contrário da Física, Química, Economia, Medicina etc.

O prêmio foi entregue a Ávila pela União Internacional de Matemática, durante o Congresso Internacional de Matemáticos realizado em Seul na Coréia do Sul. Essa medalha é entregue a cada quatro anos (O Nobel é anual) para cientistas de menos de 40 anos (Artur Ávila tem 35 anos).
O nosso matemático realizou importantes contribuições no campo dos sistemas dinâmicos, análises de funções e cálculos aplicados. Ele conseguiu, após muita pesquisa, resolver problemas que estavam sem solução há muitos anos. Normalmente essas pesquisas não são feitas individualmente e Ávila fazia parte de um grupo de trinta pesquisadores espalhados pelo mundo.

Artur Ávila demonstrava pendor pela matemática desde muito cedo: aos treze anos começou a colecionar prêmios e medalhas nas olimpíadas de matemática em que participava. Ele estudou nos dois mais tradicionais colégios do Rio de Janeiro, o Santo Agostinho e o São Bento. Hoje Artur trabalha como pesquisador no IMPA – Instituto de Matemática Pura e Aplicada do Rio de Janeiro, instituição em que concluiu seu doutorado.

É bom frisar que a Medalha Fields não é o Prêmio Nobel. Enquanto este paga um prêmio de mais de um milhão de dólares, a Fields pagou ao carioca uma quantia de cerca de 31 mil reais.
Mas, importante é o orgulho brasileiro em elevação.

 
< Anterior   Próximo >